conecte-se conosco


Saúde

Própolis pode reduzir tempo de internação por Covid-19, sugere estudo da USP

Publicado em

Saúde [email protected]

Foram analisados 124 pacientes em Salvador, mas resultados ainda precisam ser revisados por pares e estudo mais amplo deve ser realizado para ter validade clínica

Um estudo realizado pela Universidade de São Paulo (USP) em parceria com a Apis Flora identificou que um produto do agronegócio pode ter eficácia na diminuição do tempo de internação de pacientes com Covid-19. O ensaio clínico introduziu a ingestão de própolis em pacientes do Hospital São Rafael em Salvador (BA).

Dos 124 pacientes estudados, todos passaram pelo tratamento padrão, mas 40 deles receberam 400 mg/dia de própolis, outros 42 receberam 800 mg/dia e outros 42 não receberam nenhuma dose de própolis.

Conclusões do estudo aponta que o uso do própolis pode ser promissor na interferência na expressão de TMPRSS2, uma proteína da superfície celular envolvida na entrada e disseminação da Covid-19 no corpo humano. Outra conclusão é de que a substância pode interferir na ancoragem do vírus em outra proteína, a ACE2.

Segundo o estudo, que ainda precisa ser revisado por pares para ter validade clínica, quem não ingeriu própolis ficou cerca de 12 dias internado após o início do tratamento. Os outros dois grupos que receberam 400 mg e 800 mg ficaram, respectivamente, 7 e 6 dias internados.

Os resultados foram publicados na MedRxiv e serve apenas como indicativo para uma tese. Agora, devem ser realizados ensaios duplo cego com placebo e um grupo maior de pacientes.

Por Canal Rural

Comentários Facebook
Leia mais:  Mais de 90% das pessoas dizem que mudaram o cardápio após aumento no preço da carne, diz enquete do G1
Propaganda

Saúde

Governo agiliza processo de aquisição de vacinas da Índia e Rússia

Publicados

em

O Ministério da Saúde dispensou o uso de licitação para compra das vacinas Covaxin, da Índia, e Sputnik V, da Rússia. O objetivo é dar mais agilidade ao processo de aquisição desses imunizantes.

A compra ainda depende da aprovação para uso emergencial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

No total, serão disponibilizadas para a população 10 milhões de doses da Sputnik V e 20 milhões da Covaxin.

As entregas devem começar em março e deverão seguir o seguinte cronograma:

Sputtnik V

Março: 400 mil

Abril: 2 milhões

Maio: 7,6 milhões

Total: 10 milhões de doses

Covaxin

Março: 8 milhões

Abril: 8 milhões

Maio: 4 milhões

Total: 20 milhões de doses.

O investimento previsto é de R$ 639,6 milhões na vacina russa e R$ 1,614 bilhão na vacina da Índia.

Edição: Claudia Felczak

Comentários Facebook
Leia mais:  Policiais civis prendem em zona rural homem que cometeu abusos sexuais contra a própria filha em MT
Continue lendo
Propaganda

Pontes e Lacerda

Propaganda

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana