conecte-se conosco



Cidades

Jornalistas são presos após tentativa de extorsão

Publicado

Os jornalistas Pedro Ribeiro e Laerte Lannes, dos jornais “Página 12” e “O Mato Grosso”, foram presos em flagrante hoje (30/9), às 10h45, pela Polícia Civil após tentativa de extorsão e estelionato contra o conselheiro Antonio Joaquim. Foram detidos exigindo contrato mensal de R$ 5 mil com o Tribunal de Contas de Mato Grosso durante dois anos e o pagamento de R$ 25 mil para cada um. A exigência era cessar campanha de difamação e achincalhamento contra o conselheiro e o TCE, realizada com matérias nos jornais. Ribeiro e Lannes foram contratados médico Alonso Alves Filho, sócio-proprietário do Hospital Otorrino, de Cuiabá.

Leia mais:  Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 17 milhões

Os crimes foram praticados no escritório do advogado José Antonio Rosa, que vinha sendo assediado por Pedro Ribeiro e Laerte Lannes. Além de telefonemas, eles compareceram ao escritório em duas oportunidades. O advogado representa o conselheiro Antonio Joaquim em ações de calúnia, difamação e injúria que estão sendo movidas contra o dois jornalistas e o médico. O conselheiro Antonio Joaquim encontra-se em viagem de férias e recomendou chamar a Polícia. Antonio Joaquim já havia procurado o Ministério Público, denunciando ação tipica de quadrilha.

Anúncios

Os jornalistas Pedro Ribeiro e Laerte Lannes procuraram o advogado ao serem informados que não seriam recebidos pelo conselheiro e nem pela sua assessoria ou pela área de comunicação do TCE. Os policiais acompanharam a tentativa de extorsão e estelionato de uma sala ao lado, de onde podiam ouvir as conversas (gravadas em áudio e vídeo). Pedro Ribeiro e Laerte Lannes foram levados para a Delegacia de Roubos e Furtos, antigo Cisc do Verdão.

Leia mais:  INSS: prova de vida de aposentados é suspensa até fevereiro

Nas reuniões, Pedro Ribeiro e Laerte Lannes não esconderam que tinham sido contratados pelo médico Alonso Alves Filho, que é vizinho de fazenda do conselheiro Antonio Joaquim. Eles travam disputa judicial desde que o médico tentou impedir o conselheiro de utilizar uma estrada de passagem que corta a sua propriedade. Com os desenrolar das ações na Justiça, o médico passou a fazer acusações pela imprensa contra o conselheiro, delegados e até mesmo juízes, culminando com a contratação dos jornalistas Pedro Ribeiro e Laerte Lannes para publicação e distribuição de edições dos jornais Página 12 (impresso e on-line) e O Mato Grosso.

Leia mais:  Cáceres decretará toque de recolher e outras medidas a partir desta quarta (20)

 

Gazeta Digital

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Mais de 3 mil motoristas tiveram a CNH suspensa nos últimos dois anos em MT

Publicado

Mais de 3 mil motoristas tiveram a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa nos anos de 2019 e 2020, em decorrência de cometimento de infrações específicas de trânsito como dirigir sob efeito de álcool, transitar com a velocidade superior a máxima permitida para a via em mais de 50%, realizar manobra perigosa, entre outras. Além das infrações, as suspensões também ocorreram pela somatória de pontos na carteira, alcançando 20 pontos ou mais em um período de 12 meses. 

Os motoristas que têm a CNH suspensa são notificados via Correios, no endereço que está cadastrado no Detran-MT, e por meio de editais publicados no Diário Oficial do Estado.

Anúncios

Para regularizar a Carteira Nacional de Habilitação nos casos de suspensão, o motorista deverá entregar, obrigatoriamente, a CNH em qualquer unidade de atendimento do Detran-MT, cumprir o prazo de suspensão do direito de dirigir, realizar um Curso Teórico de Reciclagem no Centro de Formação de Condutores (CFC) credenciado de sua escolha ou em instituição de Ensino à Distância credenciada que emitirá o Certificado conforme conclusão de matérias obrigatórias.

Após cumprir essas etapas, o condutor deverá ir até uma unidade do Detran-MT para a emissão da taxa de Exame Teórico de Reciclagem para Infratores. Assim que finalizar o Curso Teórico de Reciclagem para Infratores, será agendado o exame teórico. Com a aprovação no curso, o motorista poderá solicitar a retirada de sua CNH ou, caso esta já esteja vencida, emitir um novo documento.

Reciclagem

Um dos meios para o condutor reestabelecer o direito de dirigir é através do curso de reciclagem por ensino à distância. O link para acesso está disponível no site do Detran-MT (www.detran.mt.gov.br), em Reciclagem EAD.

Ao clicar no link, os condutores terão a opção de escolha de empresas nacionais que foram credenciadas junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para a realização do curso de reciclagem à distância do Detran-MT.

“Todos os condutores que tiveram as carteiras suspensas são obrigados a passar pelo curso de reciclagem, bem como os que foram obrigados por determinação judicial”, destacou o diretor de Habilitação do Detran-MT, Alessandro de Andrade.   

A oferta do curso atende à Resolução 730/2018 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que estabelece os critérios e requisitos técnicos para a homologação dos cursos e plataformas tecnológicas, na modalidade de ensino a distância.

Conforme o artigo 268 do Código de Trânsito Brasileiro, o condutor infrator será submetido a curso de reciclagem na forma estabelecida pelo Contran quando: sendo contumaz, for necessário à sua reeducação; quando suspenso do direito de dirigir; quando se envolver em acidente grave para o qual haja contribuído (independentemente de processo judicial); quando condenado judicialmente por delito de trânsito e, a qualquer tempo, se for constatado que o condutor está colocando em risco a segurança do trânsito.

Lidiana Cuiabano | Detran-MT

Comentários Facebook
Leia mais:  Notícias falsas e boatos sobre Covid-19 são obstáculos na luta contra a pandemia
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana