conecte-se conosco


Saúde

Família denuncia negligência após idosa com Covid-19 cair de leito em hospital de Manaus

Publicado em

Saúde [email protected]

Por Rebeca Beatriz, G1 AM

Familiares de Marcelina Braga Dias, de 88 anos, denunciaram que a idosa foi vítima de negligência médica no Hospital Pronto Socorro 28 de Agosto, em Manaus. Ela está internada com Covid-19, desde sexta-feira (5), e sofreu ferimentos na cabeça após cair do leito.

Nesse sábado (6), o caso foi registrado pela família em um boletim de ocorrência, no 19º Distrito Integrado Policial (DIP), onde também foi solicitado exame de corpo de delito. Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) lamentou o ocorrido e disse que o estado clínico da paciente é estável, faz uso de compressa fria e curativo local (veja mais abaixo).

O Amazonas vivencia um novo colapso no sistema de saúde, com hospitais lotados por conta de um novo surto de Covid. Até sábado (6), o estado já passava dos 281 mil casos confirmados e mais de 8,9 mil mortes.

A idosa está em uma Sala Rosa (estrutura destinada a casos graves de Covid-19). De acordo com a família, uma das filhas dela percebeu os ferimentos na cabeça, além de inchaço e sangramento na região, e pediu uma explicação. A queda foi confirmada pelo hospital.

Uma tomografia do crânio foi realizada, mas a família não teve acesso ao resultado, até o momento. Exames mais detalhados, para avaliar se a queda resultou em algum tipo de lesão interna também foram solicitados por familiares, no entanto, não foram feitos, segundo os relatos.

Segundo a neta de Marcelina, Karina Braga, a família pediu acesso aos prontuários da paciente, mas teve o pedido negado. Ela afirma, ainda, que não houve nenhum tipo de amparo ou assistência por parte do hospital.

“Eu fui ao setor de serviço social em busca de explicações, por duas vezes. Na primeira, não constava nada a respeito do ferimento, e na segunda, foi anexada ao prontuário a informação de que a paciente idosa havia caído do leito durante a noite, informação repassada pela assistente social, visto que não temos acesso ao documento”, contou.

Ainda segundo ela, o sentimento é de revolta e impotência. A neta pede um acompanhamento mais humano para a avó.

“Isso é um absurdo, uma idosa, doente, utilizando oxigênio levar uma queda por um descuido. Estamos em busca de uma atenção e cuidado, que ela faça todos os exames para verificar se não houve nenhuma fratura, que a gente receba esses exames e que ela passe por um atendimento digno”, disse.

 

Leia mais:  Judiciário fecha Tribunal e mais 12 comarcas em razão de alto risco de covid-19 em MT; Pontes e Lacerda está entre elas

Conforme os relatos de familiares, a idosa mal consegue falar, apenas aponta para a cabeça e para as pernas. Quando perguntam se ela sente dor, ela confirma.

O filho da idosa, Adelino Braga Dias, disse ao G1 que o desabafo da família é uma forma de cobrar uma resposta dos órgãos competentes.

“O mais absurdo de tudo foi porque não deixaram ficar ninguém da família, nenhum acompanhante, uma senhora de idade. Em segundo lugar, nada foi feito com relação a esse incidente. Vendo o descaso do hospital, procuramos nossos direitos. E falamos não só pela minha mãe, mas por todas as famílias que têm pacientes no hospital. Não tenho mais palavras para descrever a falta de organização desse hospital”, explicou.

A Secretaria de Saúde afirmou que, segundo a direção do Hospital Pronto-Socorro 28 de Agosto, a paciente foi socorrida prontamente após a queda, realizou tomografia de crânio e o exame constatou que a paciente não apresentava fraturas ou sangramentos intracranianos.

Conforme a secretaria, com saturação de oxigênio em 98%, a paciente segue realizando o acompanhamento médico para a Covid-19. “Foi realizada avaliação médica completa e a paciente movimentou os quatro membros, sem queixas de dor nesses locais”.

A Secretaria Executiva de Controle Interno da SES orienta que a família encaminhe formalmente o relato em um dos canais da Ouvidoria, para devida apuração dos fatos e demais providências. Canais: (92) 98418-5011, E-mail: [email protected] ou pelo número da Ouvidoria SUS – 136.

Leia mais:  Dados finais apontam 99,8% do rebanho vacinado contra febre aftosa em MT

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Governo agiliza processo de aquisição de vacinas da Índia e Rússia

Publicados

em

O Ministério da Saúde dispensou o uso de licitação para compra das vacinas Covaxin, da Índia, e Sputnik V, da Rússia. O objetivo é dar mais agilidade ao processo de aquisição desses imunizantes.

A compra ainda depende da aprovação para uso emergencial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

No total, serão disponibilizadas para a população 10 milhões de doses da Sputnik V e 20 milhões da Covaxin.

As entregas devem começar em março e deverão seguir o seguinte cronograma:

Sputtnik V

Março: 400 mil

Abril: 2 milhões

Maio: 7,6 milhões

Total: 10 milhões de doses

Covaxin

Março: 8 milhões

Abril: 8 milhões

Maio: 4 milhões

Total: 20 milhões de doses.

O investimento previsto é de R$ 639,6 milhões na vacina russa e R$ 1,614 bilhão na vacina da Índia.

Edição: Claudia Felczak

Comentários Facebook
Leia mais:  Dados finais apontam 99,8% do rebanho vacinado contra febre aftosa em MT
Continue lendo
Propaganda

Pontes e Lacerda

Propaganda

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana