conecte-se conosco


Política

Articulação do deputado Nininho resulta na implantação de Centro de Inovação em Rondonópolis.

Publicado em

Política [email protected]

“O Centro de Inovação será um grande passo para o desenvolvimento tecnológico do nosso município”, pontuou o deputado estadual Nininho.

Na manhã dessa quinta-feira (18), o deputado estadual Ondanir Bortolini (PSD), Nininho, esteve reunido com o prefeito Zé Carlos do Pátio (SD), juntamente com o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Nilton Borgato, para finalizar o acordo de doação de uma área do município para a construção do Centro de Inovação. Também participaram da reunião o vice-prefeito Aylon Arruda (PSD), a secretária Municipal de Ciência e Tecnologia, Neiva de Cól e vereadores.

De acordo com o deputado que acompanha o projeto desde o início, os detalhes da doação do terreno foram concluídos e o prefeito fez o compromisso de agilizar o processo.

“Esse investimento é muito mais que garantir oportunidade de capacitação para os jovens, será um espaço para as empresas instalar laboratórios de pesquisa, além das instituições de ensino iniciarem estudos científicos por meio de parcerias. Nossa cidade acomoda pequenas e grandes empresas, também é reconhecido como polo agroindustrial no Brasil e no exterior. Participar deste projeto é uma grande felicidade, em breve vamos vê-lo em prática”, ratificou Nininho.

Conforme acordado, o Centro de Inovação será construído próximo à Universidade de Rondonópolis (UFR). “Vou acompanhar o passo a passo deste investimento. Em nome do secretário Nilton Borgato, agradeço o governador Mauro Mendes que atendeu nosso pedido, entendendo a importância da implantação do Centro de Inovação em Rondonópolis”, concluiu o parlamentar. 

Fonte: Gabinete do deputado Nininho

Comentários Facebook
Leia mais:  Deputados rejeitam projeto de antecipação de ''Super feriados'' em MT
Propaganda

Política

Lúdio aponta que apenas 21% dos idosos a partir de 75 anos estão imunizados pela vacina da covid-19 em MT

Publicados

em

Estudo realizado pelo médico sanitarista e deputado estadual detectou ainda que apenas metade dos trabalhadores da saúde receberam a 2ª dose da vacina

Mato Grosso ainda não tem uma cobertura vacinal que produza impacto significativo sobre número de casos novos de covid-19, internações e mortalidade.

Levantamento feito pelo deputado estadual e médico sanitarista Lúdio Cabral (PT), com base nas resoluções da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), comparadas com o painel de vacinação do Ministério da Saúde, mostra que apenas 21,1% dos idosos a partir de 75 anos e 50,5% dos trabalhadores da saúde já estão imunizados com as duas doses de vacina contra a covid-19.

“Não vemos efetividade da vacinação. Mato Grosso ainda está longe de alcançar uma cobertura vacinal que dê proteção à população. Mesmo os grupos prioritários têm, até agora, uma cobertura baixa.

A imunidade só é completa 14 dias depois da aplicação da 2ª dose. A vacinação está muito lenta nos grupos da fase 1, mesmo com vacinas disponíveis”, observou Lúdio.

No relatório, que considerou os dados disponibilizados até a quinta-feira (8), Lúdio detectou que a cobertura vacinal dos 89.073 idosos a partir de 75 anos é de 21,1%, pois apenas 18.819 receberam a 2ª dose. Se todas as doses disponíveis tivessem sido aplicadas, esse público teria 79,1% de cobertura.

Entre os 84.599 trabalhadores da saúde de Mato Grosso, 50,5% já receberam a 2ª dose. Mas essa cobertura vacinal poderia ser de 85% com as doses já disponíveis no estado.

Na avaliação de Lúdio, a explicação para essa lentidão está na demora da distribuição das vacinas pelo estado aos municípios, centralização de vacinação e burocracia para agendamento.

O deputado recomenda que o governo de Mato Grosso elabore as resoluções com mais rapidez e agilize a distribuição, e que as prefeituras utilizem a rede de salas de vacinas e a experiência acumulada pelos trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS), que é referência mundial na imunização de populações.

Ele defende que quanto mais descentralizar, melhor, pois o público-alvo vai aumentar nas próximas fases.

“Muitas pessoas que receberam a 1ª dose não estão recebendo a 2ª dose. Por isso é importante que a vacinação seja descentralizada e as vacinas sejam aplicadas no posto de saúde, onde as equipes de saúde conhecem os moradores e podem fazer busca ativa para que as pessoas tomem a 1ª e a 2ª dose no tempo certo e sem burocracia. A imunização só está completa depois da 2ª dose”, explicou Lúdio.

Fonte: Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Comentários Facebook
Leia mais:  Lúdio aponta que apenas 21% dos idosos a partir de 75 anos estão imunizados pela vacina da covid-19 em MT
Continue lendo

INFORME PUBLICITÁRIO

Propaganda

Pontes e Lacerda

Propaganda

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana