conecte-se conosco


Tecnologia

772 milhões de emails expostos em vazamento: descubra se você foi afetado

Publicado em

Tecnologia [email protected]


Vazamento de dados foi batizado de Collection #1 e é considerado um dos maiores da historia
Agência Brasil

Vazamento de dados foi batizado de Collection #1 e é considerado um dos maiores da historia

Um dos maiores vazamentos de dados da história da internet foi descoberto nesta quinta-feira (17). De acordo com as informações de um especialista em segurança cibernética, mais de 772 milhões de emails e 21 milhões de senhas foram expostos em um fórum para hackers. 

Leia também: Caiu na rede! De vazamento a fakes, relembre assuntos que tomaram a web em 2018 

Segundo o especialista Troy Hunt, que divulgou a descoberta do  vazamento de dados 
em seu blog pessoal, esses dados (cerca de 12 mil arquivos) foram encontrados dentro de uma pasta de 87 gigabytes armazenada na nuvem Mega, uma das mais populares atualmente. 

Leia mais:  Usuários de Pix podem integrar lista de contato de celulares

Batizada de
Collection #1 – nome da pasta na qual todas as informações estavam guardadas  -, a f alha de segurança
 já foi retirada do  Mega
, mas é possível que terceiros ainda tenham cópias desses dados em seus computadores pessoais e voltem a publicá-los. 

De acordo com o pesquisador, um dos maiores perigos de hackers
conseguirem acesso a um correio eletrônico é que, além de conseguir detalhes pessoais do usuário, o invasor pode testar a senha do email em diversas outras plataformas. 

Assim, se a vítima usar o mesmo usuário e senha em outros sites, os hackers conseguirão acessar outros serviços, como contas bancárias e perfis em redes sociais. “As pessoas fazem listas como esta [ Collection #1
] com nosso email e senhas e depois tentam ver onde mais funcionam. O sucesso desta tática se baseia em que as pessoas reutilizam as mesmas credenciais em múltiplos serviços”, disse Hunt na postagem em seu blog. 

Leia mais:  Usuários de Pix podem integrar lista de contato de celulares

Leia também: #10YearsChallenge: o Facebook está usando suas fotos do desafio?

O número de dados expostos divulgado por Hunt não considera dados duplicados ou inutilizáveis, já que o pesquisador fez uma seleção antes de anunciar o problema em seu site. Sem essas exclusões, a quantidade de endereços de email e senhas expostas passava de 2,7 bilhões, ficando atrás somente do vazamento do Yahoo em 2017, que atingiu três bilhões de contas da plataforma naquele ano.

Fui afetado pelo vazamento de dados? 


Para saber se suas informações foram expostas é possível acessar o  site Have I Been Pwned
, do pesquisador Hunt. Nessa plataforma, além de descobrir se o seu email ou a sua senha já foram comprometidos, o internauta consegue checar até mesmo em quantos vazamentos esteve envolvido.  

Leia mais:  Usuários de Pix podem integrar lista de contato de celulares


O especialista recomenda que todos os usuários afetados troquem suas senhas. Ele também afirmou que a melhor forma de evitar ter problemas com  vazamento de dados
 é utilizar senhas diferentes para cada login na internet. “Se usar um administrador de senhas digital é um passo muito grande para você, recorra à velha escola e arranje um analógico. Ou seja, um caderno. Anotar as senhas únicas em um livro e mantê-las dentro de uma casa fechada é muito melhor que reutilizá-las em toda a Internet”, disse. 

Comentários Facebook
Propaganda

Tecnologia

Usuários de Pix podem integrar lista de contato de celulares

Publicados

em

Mudança visa facilitar a identificação de quem cadastrou seu número

Usuários do Pix poderão integrar as listas de contato de seus celulares. A mudança no regulamento, feita pelo Banco Central, visa a facilitar a identificação de quem cadastrou seu número de celular como chave Pix, simplificando ainda mais o pagamento com a funcionalidade.

O Pix é um recurso que permite a transferência de recursos entre contas bancárias 24 horas por dia. As transações são executadas em até 10 segundos, sem custo para pessoas físicas. Para usar o Pix, o correntista deve ir ao aplicativo da instituição financeira e cadastrar as chaves, que podem seguir o número do celular, o e-mail, o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), para pessoas físicas, ou o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), para empresas.

Além disso, os usuários finais também poderão, em caso de mudança no nome, solicitar alteração das informações, como nome completo, nome empresarial e título do estabelecimento, sem a necessidade de excluir e registrar novamente a chave. Isso vai facilitar, por exemplo, o ajuste quando uma pessoa alterar o nome em decorrência de casamento ou uma empresa alterar o nome fantasia do estabelecimento.

A mudança no regulamento também impede a imposição de limites para o número de transações Pix, seja de envio ou de recebimento. De acordo com o Banco Central, “essa vedação é necessária para garantir condições competitivas equânimes entre diferentes instrumentos de pagamento”.

Fonte: Agencia Brasil

Comentários Facebook
Leia mais:  Usuários de Pix podem integrar lista de contato de celulares
Continue lendo

INFORME PUBLICITÁRIO

Propaganda

Pontes e Lacerda

Propaganda

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana