conecte-se conosco



Sem categoria

Uso da cloroquina dependerá de médico e paciente, diz Ministério da Saúde

Publicado

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (20) novas orientações sobre o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina para o tratamento da Covid-19. As novas diretrizes são para o uso precoce do medicamento, quando o paciente apresentar sintomas leves ou moderados da doença.  

A prescrição, nesses casos, deverá ficar a critério do médico, além de ser necessária uma declaração do paciente ou de familiares para o uso da medicação. O protocolo começa a valer para todos os pacientes diagnosticados com o novo coronavírus em tratamento na rede púbica de saúde. O governo já distribuiu 2,9 milhões de unidades de fosfato de cloroquina para todo País. 

Em suas redes sociais, o presidente da República, Jair Bolsonaro, explicou que a cloroquina pode ser usada em casos leves, com recomendação médica e autorização do próprio paciente/família. “Ainda não existe comprovação científica, mas sendo monitorada e usada no Brasil e no mundo. Contudo, estamos em guerra: ‘Pior do que ser derrotado é a vergonha de não ter lutado’.” 

Segundo o Ministério da Saúde, a nova orientação do Governo Federal quer garantir a igualdade de direitos entre os pacientes da rede pública e privada de saúde. “Há um clamor da sociedade, por meio das instituições médicas, representações populares e parlamentares, pedindo ao Ministério da Saúde uma manifestação formal, uma vez que no Brasil, para brasileiros de uma determinada classe social, há o direito da prescrição médica desses medicamentos; e para uma camada menos favorecida economicamente, há a limitação do acesso a essas medicações”, disse a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro.

“O que nós queremos é, hoje, tornar o princípio da equidade defendido e garantido pelos SUS como uma realidade para todos os brasileiros”, destacou. 

De acordo com o Ministério da Saúde, estados, municípios e hospitais da rede privada já estabeleceram protocolos próprios de uso da cloroquina e da hidroxicloroquina. Afirmou que há estudos sobre o medicamento, mas que até o momento, não existem evidências científicas robustas que possibilitem a indicação da terapia. Mas indicou que a nova orientação uniformiza a informação para os profissionais da saúde do SUS e que caberá ao médico a decisão de prescrever o remédio com aval do paciente. “Nós não estamos nos afastando da ciência, nós estamos nos aproximando da necessidade de garantir a vida em tempos de guerra”, ressaltou a secretária. 

Sintomas da Covid-19

 Sintomas leves:

– perda do olfato e/ou do paladar 

– coriza

– diarreia

– dores de cabeça, muscular ou abdominal

– febre

– tosse

– fadiga 

Sintomas moderados:

– tosse persistente com febre persistente diária

– tosse persistente com piora progressiva de outro sintoma relacionado à Covid-19

– pelo menos um dos sintomas acima + presença de fator de risco (idosos; portadores de doenças crônicas, entre elas diabetes, hipertensão e asma; gestantes e lactantes) 

Sintomas graves:

–  Síndrome Respiratória Aguda Grave

– Síndrome Gripal que apresente: Dispneia/desconforto respiratório

– pressão persistente no tórax

– saturação de O2 menor que 95% em ar ambiente

– coloração azulada de lábios ou rosto

Assessoria

Comentários Facebook
publicidade

Sem categoria

Mato Grosso registra 604 casos confirmados; De acordo com o Boletim Informativo da SES, 250 pacientes estão em isolamento domiciliar, 57 hospitalizados e 277 já se recuperaram

Publicado

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta terça-feira (12.05), 604 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 20 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado. O último óbito foi notificado pelo município de Várzea Grande na tarde de hoje.  

Os casos confirmados estão em Cuiabá (211), Rondonópolis (63), Várzea Grande (49), Barra do Garças (27), Sinop (25), Lucas do Rio Verde (23), Primavera do Leste (19), Tangará da Serra (14), Cáceres (14), Peixoto de Azevedo (13), Sorriso (12), Rosário Oeste (11), Nova Mutum (11), Jaciara (11), Mirassol D’Oeste (8), Confresa (8), Querência (7), Alta Floresta (7), São José dos Quatro Marcos (6), Jangada (4), Chapada dos Guimarães (4), Tapurah (3), Ipiranga do Norte (3), Curvelândia (3), Aripuanã (3), Vila Bela da Santíssima Trindade (2), Vale de São Domingos (2), São Pedro da Cipa (2), Rio Branco (2), Pontes e Lacerda (2), Pontal do Araguaia (2), Poconé (2), Canarana (2), União do Sul (1), Santo Antônio de Leverger (1), Poxoréo (1), , Ponte Branca (1), Nova Monte Verde (1), Nova Lacerda (1), Nossa Senhora do Livramento (1), Lambari D’Oeste (1), Cotriguaçu (1), Conquista D’oeste (1), Campo Novo do Parecis (1), Água Boa (1), Acorizal (1) e residentes de outros Estados (16).

Nas últimas 24 horas, surgiram 59 novas confirmações em Cuiabá (20), Rondonópolis (6), Várzea Grande (8), Sinop (2), Lucas do Rio Verde (2), Primavera do Leste (4), Peixoto de Azevedo (2), Sorriso (3), Rosário Oeste (3), Nova Mutum (1), Jaciara (1), Alta Floresta (5) e de residentes de outros Estados (2). 

Além das confirmações, um caso que foi registrado em Cuiabá na segunda-feira (11) foi reposicionado para Nossa Senhora do Livramento, município de residência do paciente. 

Dos 604 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 250 estão em isolamento domiciliar e 277 estão recuperados. Há ainda 57 pacientes hospitalizados, sendo 35 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 22 em enfermaria. Com as atuais internações em leitos SUS, a configuração dos leitos disponíveis fica em 211 leitos de UTI e 644 de enfermaria.

Considerando o número total de casos em Mato Grosso, 52,8% dos diagnosticados são do sexo feminino e 47,2% masculino; além disso, 174 pacientes têm faixa-etária entre 31 a 40 anos. O documento ainda aponta que um total de 3.040 amostras já foram processadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 70 amostras em análise laboratorial.

Os pacientes são devidamente acompanhados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica do Estado e dos municípios. Mais informações estão detalhadas na Nota Informativa divulgada diariamente pela SES disponível neste link, a partir das 17h.

Cenário nacional

Na última segunda-feira (11), o Governo Federal confirmou 168.331 casos da Covid-19 no Brasil e 11.519 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, divulgado pelo Ministério da Saúde, o país contabilizava 11.123 mortes e 162.699 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus. Até o fechamento deste material, não foram atualizados os números desta terça-feira (12). 

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

DOWNLOAD 

  • Boletim COVID 12.05.2020

Comentários Facebook
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana