conecte-se conosco


Esportes

Tite comemora vitória no Maracanã: ‘templo maior do futebol’

Publicado

O técnico da seleção brasileira de futebol masculino, Tite, concedeu uma entrevista coletiva após a vitória contra o Peru e destacou a importância de vencer no Maracanã lotado. O Brasil foi campeão da Copa América por 3×1, diante do estádio com quase 60 mil pagantes. 

“Eu me tornei técnico da seleção hoje definitivamente. Pelo simbolismo do templo, o templo maior do futebol”, disse. “Não tenho adjetivo para traduzir isso, essa felicidade.”

O técnico chegou à coletiva com um de seus netos no colo, e enquanto falava, seus netos brincavam no auditório do Maracanã. O técnico se emocionou ao falar da importância de sua família e disse não conseguir ver seu trabalho dissociado dela.

“Não é piegas se emocionar e falar do que é o sentimento. Eu não tenho problema nenhum.”

Tite disse que não encara críticas como algo que parte de quem está contra ele. “É do processo democrático, de busca, de crescimento”, disse o técnico, que afirmou que existem muitas formas de se jogar bem e ganhar no futebol. “Somos fieis a uma ideia de futebol que é consistente”, afirmou.

O treinador do Brasil também criticou a arbitragem e disse que questionou o pênalti marcado a favor do Peru. “O descritério da arbitragem foi notório.”

O técnico do Peru, Ricardo Gareca, também concedeu entrevista coletiva e disse considerar que o resultado da final foi justo e que o Brasil é uma solução sólida. Ricardo afirmou que o Peru melhorou desde o início da competição, teve seu momento na partida, mas o Brasil soube aproveitar bem as oportunidades.

¨Somos uma seleção que melhorou e vai melhorar. Se vermos desse ponto de vista, me deixa tranquilo. Isso não quer dizer que não há motivo de superação e de rever, porque temos que melhorar cada vez mais¨, disse ele, que rejeitou rotular o Peru como seleção revelação da Copa América. “É uma seleção experiente. Não se pode dizer que é uma revelação.”

O técnico peruano foi questionado sobre a possibilidade de assumir o comando da seleção argentina, país onde nasceu. Ricardo afirmou que, apesar de amar seu país, pretende honrar o contrato que assinou com o Peru até 2021.

“Tenho um contrato com um país que me ofereceu tudo e que me deu tudo”, disse ele.

FONTE: Agência Brasil

 

Leia mais:  Atleta de Mato Grosso conquista duas medalhas de ouro no Pan e é aposta para as Olimpíadas

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Atleta de Mato Grosso conquista duas medalhas de ouro no Pan e é aposta para as Olimpíadas

Publicado

A canoísta mato-grossense Ana Sátila Vieira Vargas, 23 anos, conquistou duas medalhas de ouro durante os jogos Pan-Americanos de 2019, sediados em Lima, no Peru. No último dia 4, ela venceu duas provas olímpica de canoagem feminina.

Ana começou a praticar canoagem em um projeto social no Rio das Mortes, em Primavera do Leste, onde nasceu. Ela é canoísta slalom, prática na qual o atleta, com o auxílio de um remo, desce corredeiras e passa por obstáculos naturais ou artificiais. Vence o esportista que cumprir o percurso com menor espaço de tempo e menos penalidades.

As medalhas conquistadas pela atleta, durante o Pan deste ano, constam entre as 171 conquistadas pelo Brasil ao longo da competição – foram 55 de ouro, 45 de prata e 71 de bronze. O país ocupou a segunda colocação do ranking mundial da competição, que foi encerrada no domingo (11).

A atleta era vista como a favorita nas disputas. Conforme o site Globo Esporte, ela não cometeu erros e saiu consagrada durante a disputa. Ana é, atualmente, a terceira do ranking mundial em sua modalidade e é citada entre os melhores do mundo há, pelo menos, seis anos.

No Pan-Americano de Lima, ela venceu as disputas de canoagem nas categorias C1 slalom feminino e a não-olímpica do K1 extremo. Ana já havia conquistado ouro no feminino no C1 durante o Pan de Toronto, no Canadá, em 2015. Desta forma, tornou-se bicampeã na disputa no Pan.

Neste ano, a atleta venceu a prova do C1 com o tempo de 95s35, sem penalidades. A prata foi da canadense Lois Betteridge (102s95), e o bronze ficou com a americana Michaela Corcoran (10s73).

Conforme o Globo Esporte, ela também havia se saído bem no K1 em 2015, conquistando a prata. Neste ano, teve desempenho melhor.

Emocionada com as conquistas, Ana disse, em entrevista ao Globo Esporte, que dedicava a vitória à família e ao namorado. “Esse Pan vai entrar para a história. Estou muito feliz. Esse circuito é muito difícil, então estou muito, muito contente, tive uma boa vantagem. Na semi também foram oito segundos. Fiquei focada em continuar minha descida e fazer uma prova sem penalidades, fiquei muito feliz por ser tanto tempo”, comentou, pouco após a vitória.

Em Tóquio

Nas Olimpíadas de Tóquio, no próximo ano, a canoagem C1 do slalom, especialidade de Ana Sátila, vai estrear na disputa mundial. A mato-grossense é considerada uma das principais apostas na prática.

FONTE: RD News

 

Leia mais:  Atleta de Mato Grosso conquista duas medalhas de ouro no Pan e é aposta para as Olimpíadas

Comentários Facebook
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana