conecte-se conosco



Geral

Rio inaugura maior roda-gigante da América Latina em novembro

Publicado

A roda-gigante Rio Star será a maior da América Latina, com 88 metros de altura, e a volta completa vai durar 15 minutos. O público se acomodará em 54 gôndola [cabine] com capacidade para até oito passageiros, e os passeios vão ocorrer das 10h às 18h, com a possibilidade de horário estendido na alta temporada.

“Acredito muito que o público carioca vai abraçar a roda-gigante, que vai querer vir conhecer e ter essa visão a 88 metros de altura”, disse o diretor executivo da FW Investimentos, holding que administra a Rio Star, Fábio Bordini.

Sem revelar as promoções, Bordini promete que haverá preços especiais para cariocas, que devem ser parte importante do público, estimado em 3 mil pessoas por dia. Fazendo as contas, são cerca de 1 milhão de pessoas por ano.

A montagem da estrutura metálica que já se destaca na paisagem da zona portuária do Rio de Janeiro terminou na semana passada, e técnicos do país asiático agora trabalham na finalização elétrica e hidráulica da atração, que receberá seus primeiros visitantes na segunda quinzena de novembro. Foram três carregamentos de navio para trazer todo o material da Roda Gigante Rio Star da China.

O projeto nasceu de uma licitação da Prefeitura do Rio de Janeiro para a construção de um parque temático na região, próxima do Aquário do Rio de Janeiro. Diretor executivo da FW Investimentos, holding que administra a Rio Star, Fábio Bordini, conta que a obra começou em dezembro do ano passado, e o maior desafio foi “tropicalizar” a Roda Gigante, 100% encomendada na China.

“Fomos para a China com nossos engenheiros e especificamos como deveria ser a estruturação toda, para que ela viesse para o Brasil preparada para a questão da maresia, situação do mar, tipo de aço. Tudo isso foi feito anteriormente”, diz o executivo.

Os ingressos vão custar R$ 59, mas quem comprar pela internet terá R$ 10 de desconto. Na primeira fase de operação, entre novembro e a primeira quinzena de dezembro só serão vendidos ingressos na bilheteria. Somente após a inauguração oficial, marcada para dezembro, será possível fazer a compra antecipada pela internet.

Empregos diretos

Nos próximos dias, a roda gigante será repintada, para cobrir danos causados no acabamento pela viagem de navio. Também estão em fase de conclusão a construção do restaurante, da sede administrativa e da loja de souvenirs, que vão compor o complexo. O primeiro giro da estrutura deve acontecer nos próximos 10 dias, entre 25 e 30 de outubro.  

A Rio Star deve gerar 60 empregos diretos e mais 60 indiretos, e parte dessas vagas foi reservada para moradores da região, especialmente do Morro da Providência, que é vizinho da atração turística. Uma fila se formou na Estação Gamboa do Teleférico da Providência na semana retrasada, e mais de 900 pessoas se cadastraram para concorrer às vagas, que incluem atendimento ao cliente, caixa, vendedor de loja e gastronomia. A parte das vagas ligada à operação técnica da roda gigante já está preenchida por profissionais que acompanham a execução do projeto.

O presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto (Cdurp), Tarquínio de Almeida, afirma que a expectativa para a inauguração é a melhor possível, porque a Rio Star se tornou um atrativo para intenções de negócios e eventos na região. A companhia representa a prefeitura na gestão urbana da região do porto, que é concedida à Concessionária Porto Novo. 

Edição: Valéria Aguiar
Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
publicidade

Geral

Nuvem de gafanhotos: governo declara emergência fitossanitária

Publicado

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento declarou estado de emergência fitossanitária no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina devido ao risco de surto da praga Schistocerca cancellata nas áreas produtoras dos dois estados. A portaria com a medida está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (25).

O estado de emergência tem por objetivo permitir a implementação de plano de supressão da praga e adoção de medidas emergenciais. De acordo com o ministério, a emergência fitossanitária é por um prazo de 1 ano.

A nuvem de gafanhotos está a cerca de 250 quilômetros da fronteira do Rio Grande do Sul com a Argentina. A preocupação das autoridades do setor agropecuário e de produtores rurais é o dano que os insetos possam causar às lavouras e pastagens, se houver infestação.

A dieta do inseto varia, conforme a espécie, entre folhas, cereais, capins e outras gramíneas. Segundo informações repassadas à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul, a nuvem é originária do Paraguai, das províncias de Formosa e Chaco, onde há culturas de cana-de-açúcar, mandioca e milho.

Em nota, o minstério informou que está acompanhando o fenômeno em tempo real e que “emitiu alerta para as superintendências federais de Agricultura e aos órgãos estaduais de Defesa Agropecuária para que sejam tomadas medidas cabíveis de monitoramento e orientação aos agricultores da região.

De acordo com a pasta, especialistas argentinos estimam que os insetos sigam em direção ao Uruguai. A ocorrência e o deslocamento da nuvem de gafanhotos são influenciados pela temperatura e circulação dos ventos.

O fenômeno é mais comum com temperatura elevada. Segundo o setor de Meteorologia da secretaria gaúcha, há expectativa de aproximação de uma frente fria pelo sul do estado, que deve intensificar os ventos de norte e noroeste, “potencializando o deslocamento do massivo para a Fronteira Oeste, Missões e Médio e Alto Vale do Rio Uruguai”.

A nota diz ainda que o gafanhoto está presente no Brasil desde o século 19 e que causou grandes perdas às lavouras de arroz na Região Sul no período de 1930 a 1940. “No entanto, desde então, tem permanecido na sua fase ‘isolada’, que não causa danos às lavouras.”

O ministério informa que especialistas estão avaliando “os fatores que levaram ao ressurgimento desta praga em sua fase mais agressiva” e que o fenômeno pode estar relacionado a uma conjunção de fatores climáticos.

A Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul orienta os produtores rurais gaúchos a informar a Inspetoria de Defesa Agropecuária da sua localidade se identificar a presença de tais insetos em grande quantidade.

Logo da Agência Brasil

Comentários Facebook
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana