conecte-se conosco


Polícia

Operação da Polícia Federal combate corrupção nos Correios

Publicado

A Policia Federal deflagrou nesta sexta-feira (6) a Operação Postal Off para desarticular uma organização criminosa que atuava junto à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Segundo o órgão, o grupo praticava fraudes que estavam causando prejuízos à empresa “de forma habitual e permanente”.

De acordo com a PF, a investigação começou em novembro de 2018, em Santa Catarina, e mostrou que a atuação do grupo se estendia aos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, com a “participação ativa de funcionários dos Correios”. A polícia informou que cargas postais de seus clientes eram distribuídas no fluxo postal sem faturamento ou com faturamento muito inferior ao devido.

Um dos modos de atuação dos criminosos era identificar clientes dos Correios e levá-los a romper seus contratos com a empresa. Os clientes então passariam a ter as encomendas postadas por meio de contratos mantidos entre as empresas do grupo criminoso e os Correios.

Segundo a PF, ao longo da investigação também foram apuradas solicitações e pagamentos de vantagens indevidas envolvendo empresários, funcionários públicos e agentes políticos, “configurando indícios dos crimes de corrupção passiva e concussão”.

Uma avaliação preliminar indicou que a atuação do grupo causou um prejuízo de R$ 13 milhões, segundo a PF. O valor se refere às postagens ilícitas já identificadas, sem a inclusão dos danos diários provocados pelo grupo investigado.

A PF informou ainda que cerca de 110 policiais federais estão cumprindo 9 mandados de prisão preventiva e 19 mandados de busca e apreensão na cidade do Rio de Janeiro; dois mandados de prisão preventiva e cinco mandados de busca e apreensão nos municípios de Tamboré, Cotia, Bauru e São Caetano, no estado de São Paulo; além de um mandado de prisão temporária e um de busca em Belo Horizonte, em Minas Gerais. Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Federal de Florianópolis de Santa Catarina.

Bloqueios

Para garantir o ressarcimento dos prejuízos causados aos Correios, a Justiça determinou os bloqueios de contas bancárias e o arresto de bens móveis e imóveis, incluídos carros de luxo e duas embarcações, sendo uma delas um iate avaliado em R$ 3 milhões. “Com as medidas, espera-se que seja efetivado o bloqueio de R$ 40 milhões dos investigados”, afirmou a PF.

De acordo com a PF, os investigados poderão ser indiciados nos autos do inquérito policial instaurado para a apuração dos fatos, pela prática dos crimes de corrupção passiva e ativa, concussão, estelionato, crimes tributários, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa.

Correios

Por meio de nota, os Correios informaram que estão colaborando “plenamente” com as autoridades e que a empresa permanecerá contribuindo com as investigações para a apuração dos fatos. “Os Correios reafirmam o seu compromisso com a ética, a integridade e a transparência”, diz o comunicado.

FONTE: Agência Brasil

Comentários Facebook
Leia mais:  Foragido da Justiça de Distrito Federal é preso em Confresa
publicidade

Polícia

Suspeito com várias passagens é preso com R$ 2,3 mil furtado de interior de veículo

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

Um dos autores de um furto qualificado ocorrido em Várzea Grande foi preso, na manhã desta quarta-feira (04.12), horas depois do crime, em ação da Polícia Judiciária Civil, realizada por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) do município.

Com várias passagens pela polícia e monitorado por tornozeleira eletrônica, Douglas Junior Santos, 27, foi autuado em flagrante pelos crimes de associação criminosa e furto qualificado mediante concurso de pessoas e fraude.

As diligências iniciaram na tarde de terça-feira (03), após o furto cometido no interior de um veículo Hilux., ocasião em que vítima deixou a caminhonete no estacionamento de uma empresa na Avenida da Feb,

Ao retornar ao veículo, a vítima constatou que a Hilux estava com as portas destravadas e o interior do veículo todo revirado, sendo subtraído a quantia em dinheiro de R$ 6,2 mil, uma bolsa com roupas, uma impressora digital avaliada em cerca de R$ 2,6 mil e um notebook da marca Sony avaliado em torno de R$ 2,6 mil.

Leia mais:  Polícia Civil prende homem por uso de documentos falsos e contrabando

Iniciadas as diligências, os policiais da Derf-VG tiveram acesso as imagens captadas por câmeras de segurança do local, sendo possível identificar o momento em que três indivíduos se aproximam em um carro modelo Gol de cor branca.

Utilizando um dispositivo com controle remoto para desbloquear a trava do veículo, os suspeitos abriram a caminhonete e furtaram os objetos. Em checagem no sistema, foi verificado que o veículo utilizado no crime pertencia ao suspeito, Douglas Junior Santos, que também aparece nas imagens praticando o furto.

De posse das informações, os investigadores da Derf-VG lograram êxito em localizar o suspeito, que no momento da abordagem, usava a mesmas roupas mostradas no vídeo. Com ele, foi apreendido aproximadamente R$ 2,3 mil, referente a parte do valor furtado do interior da Hilux, além de três dispositivos de controle remoto (equipamento usado para bloquear sinal de trava de veículos) conhecido como “Chapolin”.

Diante do flagrante, o suspeito foi encaminhado para Derf-Várzea Grande e durante interrogatório, confessou a autoria do furto mediante o uso do dispositivo bloqueador de trava. O preso alegou que trabalha como motorista de aplicativo e encontra-se em liberdade condicional mediante uso de tornozeleira eletrônica, porém havia rompido o dispositivo há algum tempo.

Leia mais:  Condenado por latrocínio em Rondonópolis é preso em Jaciara

Após a confecção dos autos, o autuado foi encaminhado para Cadeia Pública ficando à disposição da Justiça.

As investigações continuam com objetivo recuperar os produtos, identificar e prender os outros dois envolvidos no crime.

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana