conecte-se conosco


Esportes

Muito além dos 5 a 4: duelo entre Cruzeiro e Internacional cheira a mata-mata e terá embate inédito

Publicado

Dois clubes que se orgulham de ter conquistado “Tríplices Coroas” escreverão um capítulo inédito de um histórico de confrontos com cheiro de mata-mata. Nesta quarta-feira, o Cruzeiro recebe o Internacional pela semifinal da Copa do Brasil 2019, no Mineirão. É o jogo de ida entre adversários que já protagonizaram final e semifinal de Campeonato Brasileiro, duelo mágico de Copa Libertadores, embate na Copa Sul-Americana e também na Copa Sul-Minas. Pela primeira vez, se enfrentarão no maior torneio eliminatório do Brasil.

O jogo entre Cruzeiro e Internacional terá transmissão ao vivo da TV Globo e do GloboEsporte.com para todo o Brasil, com narração de Luis Roberto e comentários de Júnior e Casagrande. O SporTV também transmite ao vivo para todo o Brasil, com narração de Rogério Correa e comentários de Lédio Carmona e Grafite. O GloboEsporte.com ainda transmite ao vivo as entrevistas de técnicos e jogadores dos clubes após a partida

As cores azul e vermelho são marcantes para o Estádio Mineirão, palco da partida desta quarta, às 21h30. Em março de 1976, aconteceu o duelo entre colorados e celestes, que pode ser considerado um dos mais bonitos da história do Gigante da Pampulha.

Dois timaços vindos de uma disputa de final do Brasileirão do ano anterior – o famoso gol iluminado de Figueiroa -, que se reencontraram pela primeira fase da Libertadores: resultado final de 5×4 para o Cruzeiro de Joãozinho, Palhinha e Jairzinho. Um show particular do primeiro, ponta-esquerda, e do segundo, a lenda, fez o Inter trocar o lateral-direito no intervalo, tamanho o baile do “Bailarino”.

GloboEsporte.com relembra os grandes duelos protagonizados por Cruzeiro e Inter desde os tempos em que a Seleção Brasileira era composta por jogadores domésticos, que a Libertadores tinha jogo de fase de grupos no domingo e que o Campeonato Brasileiro tinha outros nomes. Um confronto equilibrado, com 29 vitórias celestes, 30 triunfos colorados, 23 empates e exatamente 105 gols marcados por cada lado. E tudo começou em 1962, justamente num encontro de mata-mata nacional pela Taça Brasil daquele ano.

O começo

Em uma época na qual Mineirão e Beira-Rio eram apenas projeto em papel, Internacional e Cruzeiro se digladiaram pela primeira vez em 1962, pela Taça Brasil. Confrontos no velho Independência e no extinto Olímpico. O jogo foi pelas quartas de final da última fase do torneio e reunia os campeões mineiro e gaúcho. Melhor para o Colorado, que empatou a ida, em BH, por 1 a 1, e venceu a volta, em Porto Alegre, por 2 a 1.

Depois, o Inter enfrentaria o Botafogo de Garrincha e Nilton Santos na semifinal, perdendo a chance de fazer a final com o Santos de Pelé. Algo que o Cruzeiro, em 1966, não só atingiria como derrotaria o time do Rei do Futebol.

FONTE: Globo Esportes

Comentários Facebook
Leia mais:  Atleta de Mato Grosso conquista duas medalhas de ouro no Pan e é aposta para as Olimpíadas
publicidade

Esportes

Atleta de Mato Grosso conquista duas medalhas de ouro no Pan e é aposta para as Olimpíadas

Publicado

A canoísta mato-grossense Ana Sátila Vieira Vargas, 23 anos, conquistou duas medalhas de ouro durante os jogos Pan-Americanos de 2019, sediados em Lima, no Peru. No último dia 4, ela venceu duas provas olímpica de canoagem feminina.

Ana começou a praticar canoagem em um projeto social no Rio das Mortes, em Primavera do Leste, onde nasceu. Ela é canoísta slalom, prática na qual o atleta, com o auxílio de um remo, desce corredeiras e passa por obstáculos naturais ou artificiais. Vence o esportista que cumprir o percurso com menor espaço de tempo e menos penalidades.

As medalhas conquistadas pela atleta, durante o Pan deste ano, constam entre as 171 conquistadas pelo Brasil ao longo da competição – foram 55 de ouro, 45 de prata e 71 de bronze. O país ocupou a segunda colocação do ranking mundial da competição, que foi encerrada no domingo (11).

A atleta era vista como a favorita nas disputas. Conforme o site Globo Esporte, ela não cometeu erros e saiu consagrada durante a disputa. Ana é, atualmente, a terceira do ranking mundial em sua modalidade e é citada entre os melhores do mundo há, pelo menos, seis anos.

No Pan-Americano de Lima, ela venceu as disputas de canoagem nas categorias C1 slalom feminino e a não-olímpica do K1 extremo. Ana já havia conquistado ouro no feminino no C1 durante o Pan de Toronto, no Canadá, em 2015. Desta forma, tornou-se bicampeã na disputa no Pan.

Neste ano, a atleta venceu a prova do C1 com o tempo de 95s35, sem penalidades. A prata foi da canadense Lois Betteridge (102s95), e o bronze ficou com a americana Michaela Corcoran (10s73).

Conforme o Globo Esporte, ela também havia se saído bem no K1 em 2015, conquistando a prata. Neste ano, teve desempenho melhor.

Emocionada com as conquistas, Ana disse, em entrevista ao Globo Esporte, que dedicava a vitória à família e ao namorado. “Esse Pan vai entrar para a história. Estou muito feliz. Esse circuito é muito difícil, então estou muito, muito contente, tive uma boa vantagem. Na semi também foram oito segundos. Fiquei focada em continuar minha descida e fazer uma prova sem penalidades, fiquei muito feliz por ser tanto tempo”, comentou, pouco após a vitória.

Em Tóquio

Nas Olimpíadas de Tóquio, no próximo ano, a canoagem C1 do slalom, especialidade de Ana Sátila, vai estrear na disputa mundial. A mato-grossense é considerada uma das principais apostas na prática.

FONTE: RD News

 

Leia mais:  Atleta de Mato Grosso conquista duas medalhas de ouro no Pan e é aposta para as Olimpíadas

Comentários Facebook
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana