conecte-se conosco



Geral

Heróis da estrada: Em Rondônia, grávida entra em trabalho de parto na BR, é assistida por PRFs e criança nasce em segurança

Publicado

Gravidez de risco era acompanhada por médicos de Ouro Preto do Oeste. Apesar do rompimento da bolsa durante o percurso, parto ocorreu sem maiores problemas

Há quase duas semanas, no dia 5 de julho, policiais rodoviários federais da Delegacia da PRF em Ji-Paraná estiveram à frente de uma ocorrência diferente. Treinados para situações de risco e enfrentamento ao crime, os agentes se depararam com uma situação bastante delicada: uma jovem, em gravidez de risco, acompanhada da mãe, solicitou ajuda no posto da PRF ao entrar em trabalho de parto.

A equipe, mesmo sem experiência real nesse tipo de evento, providenciou auxílio imediato, deslocando em viatura policial para um Hospital em Ouro Preto do Oeste, cerca de 50 quilômetros distante do local de atendimento. Essa decisão foi tomada a pedido da mãe, pois os profissionais que acompanharam o delicado pré-natal do pequeno Luiz a aguardavam naquela maternidade.

Durante o caminho, dentro da viatura, a avó materna da criança disse aos policiais que, em outras duas oportunidades, a gestante havia perdido bebês por complicações decorrentes da gravidez. Pouco depois dessa informação, a jovem mãe teve um princípio de desmaio e em seguida a bolsa estourou. Apesar de todas as dificuldades, o deslocamento aconteceu sem intercorrências e o parto foi realizado como planejado, no Hospital Bom Jesus.

Nas palavras do PRF Vinicius Pitta, um dos responsáveis pela ocorrência, afirma que “para a equipe, fica a lição de que apesar de incomum, frente aos cenários nos quais trabalhamos e estamos acostumados, esse tipo de ocorrência é de igual ou maior importância do que as ocorrências policiais mais corriqueiras. É muito gratificante saber e ver que ajudamos a trazer uma criança ao mundo, principalmente, se levarmos em consideração que a mãe havia perdido outros dois bebês em gestações anteriores. Saber que tivemos uma parcela de colaboração, faz com que nos sintamos muito gratos e felizes em fazer parte dessa Instituição, que nos possibilita auxiliar a quem precisar e em qualquer circunstância”. O policial também disse que “os conhecimentos transmitidos durante o curso de formação profissional, na Universidade Corporativa da Polícia Rodoviária Federal (UniPRF), bem como a mentoria realizada por policiais mais antigos, foram de fundamental importância para decisões, tomadas sob pressão, nessa ocorrência incomum”.

Na manhã dessa quinta-feira (16), a equipe responsável pelo socorro realizou uma visita à família do recém-nascido. Seguindo todas as recomendações médicas de cuidados decorrentes da pandemia do Coronavírus, os PRFs entregaram uma camiseta da instituição, gravada com o nome do pequeno Luiz Zangarini e também alguns pacotes de fraldas, para ajudar nos cuidados durante os primeiros dias de vida da criança.

Participaram da ocorrência os policiais rodoviários federais: Vinicius Pitta, Ricken e F. Silveira

Comentários Facebook
Leia mais:  COVID-19: Mais cinco centros no Brasil iniciam testes com vacina chinesa
publicidade

Geral

COVID-19: Mais cinco centros no Brasil iniciam testes com vacina chinesa

Publicado

Mais cinco centros de pesquisa do país vão dar início ainda esta semana a testes com a vacina chinesa CoronaVac, da farmacêutica Sinovac, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan.

Hoje (5), as vacinas começaram a ser aplicadas em profissionais da saúde na Universidade de Brasília (UnB) e, amanhã (6), no Hospital das Clínicas na Unicamp, em Campinas (SP). Na sexta-feira (7), os testes serão no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba; e na Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (SP). No sábado (8), será vez do Hospital São Lucas, da PUC do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.

Até o momento, já há cinco centros de pesquisa em operação para os testes. O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP) foi o primeiro a aplicar a CoronaVac, no dia 21 de julho. Na quinta-feira (30) e na sexta-feira (31), os testes começaram no Instituto de Infectologia Emílio Ribas; na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP); na Universidade Municipal de São Caetano do Sul; e no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

Ao todo, 12 núcleos científicos foram selecionados para a realização da terceira e última fase de ensaios clínicos do imunizante. O cronograma para início da aplicação das vacinas nos dois últimos centros – o Hospital Israelita Albert Einstein, na capital paulista, e o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio de Janeiro – deverão ser  anunciados em breve.

Os testes com a CoronaVac serão realizados em nove mil voluntários. Apenas profissionais da saúde que ainda não tiveram a doença e que atuam com pacientes com a covid-19 poderão participar dos testes. Para atender aos critérios, esses profissionais da saúde não poderão ter outras doenças e nem estarem em fase de testes para outras vacinas. As voluntárias mulheres também não poderão estar grávidas.

A vacina é aplicada em duas doses, com intervalo de 14 dias. Caso seja comprovado o sucesso da vacina, ela começará a ser produzida pelo Instituto Butantan.

Vacina

A CoronaVac é uma das vacinas contra o novo coronavírus (covid-19) em fase mais adiantada de testes. Ela já está na terceira etapa, chamada clínica, de testagem em humanos. O laboratório chinês já realizou testes do produto em cerca de mil voluntários na China, nas fases 1 e 2. Antes, o modelo experimental aplicado em macacos apresentou resultados expressivos em termos de resposta imune contra as proteínas do vírus.

A vacina é inativada, ou seja, contém apenas fragmentos do vírus inativos. Com a aplicação da dose, o sistema imunológico passaria a produzir anticorpos contra o agente causador da covid-19. No teste, metade das pessoas receberão a vacina e metade receberá placebo, substância inócua. Os voluntários não saberão que vacina receberão.

Logo da Agência Brasil

Comentários Facebook
Leia mais:  COVID-19: Mais cinco centros no Brasil iniciam testes com vacina chinesa
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana