conecte-se conosco



Polícia

Em menos de uma semana, ação conjunta prende suspeitos da morte de subtenente da Polícia Militar

Publicado

Último suspeito foi preso na manhã desta quinta-feira (02), em Jangada

Julia Oviedo | Sesp-MT

– Foto por: PMMT

Atuação conjunta da Polícia Militar (PM) e da Polícia Judiciária Civil (PJC) conseguiu prender, nesta quinta-feira (03.09), o último suspeito do assassinato do subtenente da PM, Everaldo Rodrigues Alves, de 46 anos. Ele foi morto a tiros na madrugada do último sábado (29.08). O suspeito de disparar contra o militar foi preso em um sítio, em Jangada (76 km de Cuiabá).

O mandado de prisão foi expedido na noite de quarta-feira (02.09) e a prisão realizada na manhã desta quinta-feira (03.09). A prisão ocorreu na presença do delegado da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Olímpio da Cunha Fernandes Junior, do comandante do 24º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel PM Frederico Lopes, do advogado e de familiares do suspeito.

Em menos de uma semana, todos os três suspeitos de envolvimento na morte do policial militar foram presos. Um deles foi detido em flagrante na madrugada de sábado e, por meio de informações fornecidas por ele, foi possível identificar e localizar os outros dois envolvidos.

O segundo suspeito se apresentou na DHPP, na terça-feira (01º/09), na presença do advogado e confirmou a identidade do terceiro suspeito e que este teria sido o autor dos disparos contra o militar.

Para o comandante do 24º BPM, tenente-coronel PM Frederico Lopes, a celeridade na apuração do caso e a prisão dos envolvidos em menos de uma semana só foi possível graças a integração das forças policiais.

“Essa atuação conjunta entre PM e PJC é primordial para a celeridade e o êxito deste tipo de caso. Vale destacar que todas as prisões foram feitas de forma a assegurar a integridade dos suspeitos, com a responsabilidade e comprometimento característica da Polícia Militar”, frisou o tenente-coronel.

Já o delegado responsável pelo caso, Olímpio da Cunha Fernandes Junior, definiu a atuação conjunta como mais uma ação de excelência das duas instituições, que rapidamente conseguiu obter os elementos necessários para que os responsáveis fossem localizados.

Entenda o caso

O subtenente PM, Everaldo Rodrigues Alves, foi assassinado por volta de 2h30 do último sábado (29.08), no bairro Pedra 90, em Cuiabá. Os três suspeitos de envolvimento teriam iniciado uma discussão em um bar da região e após agressões verbais tomaram a arma do policial e dispararam contra ele, fugindo logo em seguida.

O militar trabalhou na região do Pedra 90 por mais de 20 anos e estava lotado no 24º Batalhão.

Comentários Facebook
Leia mais:  Preso é flagrado com 8 celulares, carregadores, cabos e chips dentro no corpo em MT
publicidade

Polícia

Preso é flagrado com 8 celulares, carregadores, cabos e chips dentro no corpo em MT

Publicado

Ele expeliu objetos sozinho e não necessitou de atendimento médico. Materiais foram identificados após inspeção eletrônica durante revista.

Um preso foi flagrado com oito mini aparelhos de celular com bateria, quatro plugs de cabo USB, sete chips e um fio de carregador dentro do corpo ao ser revistado na Penitenciária Osvaldo Florentino Leite Ferreira (Ferrugem), em Sinop, a 503 km de Cuiabá.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (Sesp), ele foi descoberto durante procedimento de entrada na penitenciária. O caso aconteceu na última sexta-feira (18).

Os policiais penais identificaram “comportamento suspeito” no homem, que estava em um grupo de recém-chegados ao local. Após busca pessoal, ele foi submetido à inspeção eletrônica, e o scanner corporal revelou a presença de alguns objetos.

Preso estava com celulares, cabos USB e chips dentro do corpo — Foto: Sesp/MT

Objetos seriam entregues a outros presos

O homem então confessou que transportava materiais que seriam entregues a presos da unidade.

Sozinho, ele expeliu oito mini aparelhos de celular com bateria, quatro plugs de cabo USB, sete chips de celulares e um fio de carregador de celular. O preso não necessitou de atendimento médico.

Leia mais:  Policiais militares salvam bebê que se afogou na banheira em Tangará da Serra

O material estava protegido por bexigas e fitas isolante. Aos policiais penais, ele relatou que receberia uma quantia em dinheiro caso conseguisse fazer a entrega.

O homem foi encaminhado para a ala destinada ao isolamento, como medida de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19).

A direção da penitenciária afirma que investiga quem encomendou os objetos e a participação do preso nesse caso.

por G1 MT

Comentários Facebook
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana