conecte-se conosco


Mato Grosso

Doleiro diz que JBS fez doações a políticos de MT em troca de isenção de impostos

Publicado

O doleiro Lúcio Funaro, convidado a prestar esclarecimentos nessa quinta-feira (19) na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, chegou no horário marcado, mas os deputados Dilmar Dal Bosco, Janaina Riva e Ondanir Bortolini, o Nininho, que são membros da CPI, pediram que a sessão fosse só entre o doleiro e os parlamentares. O pedido gerou discussão.

“A proposta de sessão secreta foi majoritária, por 3 votos a 1, meu voto foi contra, e então nós vamos fazer a sessão secreta”, disse Wilson Santos, presidente da CPI.

O sigilo da sessão causou surpresa até para o próprio doleiro.

“Se eu tivesse mandato de deputado, eu gostaria que tivesse no Brasil o estado democrático de direito e acho que a população tem que ter acesso a todo tipo de informação”, disse Funaro.

A sessão foi realizada na sala do Colégio de Líderes, na presidência da Assembleia. Os deputados que pediram que a sessão fosse secreta, não falaram com a impressa. Funaro foi convidado pela CPI da Assembleia Legislativa de Mato Grosso porque em outra CPI, na Câmara dos Deputados, em Brasília, citou envolvimento de um empresário e políticos de Mato Grosso em esquema de sonegação de impostos e concessão de crédito fiscal no estado.

Comentários Facebook
Leia mais:  Sede própria da Escola de Governo é inaugurada
publicidade

Mato Grosso

Sema apreende 108 kg de peixes e apetrechos proibidos em Porto Alegre do Norte e Confresa

Publicado

por

A equipe de fiscalização da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) apreendeu 108 quilos de pescado e diversos apetrechos de pesca predatória nos municípios de Porto Alegre do Norte e Confresa. A Operação foi realizada na quinta-feira (17.10) pela equipe de Fiscalização de Fauna da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) e pela Diretoria de Unidade Descentralizada de Confresa, em parceria com a Policia Militar.

As espécies apreendidas são pirarucu, tucunaré, matrinxã, piranha, corvina, piau e tabatinga. Além dos peixes foram recolhidas três redes de captura de pirarucu, oito redes de pesca de diversos tamanhos e diversas malhas, uma tarrafa, cinco espinheis, 60 boias e 02 freezers.

Os fiscais aplicaram multas no valor total de R$ 6,1 mil. Os peixes foram doados a instituições filantrópicas de Porto Alegre do Norte e de Confresa.

Piracema

O período de defeso da piracema no Estado de Mato Grosso iniciou no dia 1º de outubro e segue até dia 31 de janeiro de 2020. A proibição à pesca, tanto amadora como profissional, abrange os rios das Bacias Hidrográficas do Paraguai, Amazonas e Araguaia-Tocantins.

Leia mais:  Governo conclui pagamento dos servidores públicos nesta terça-feira

Neste período é permitida apena a pesca de subsistência, desembarcada, que é aquela praticada artesanalmente por populações ribeirinhas ou tradicionais para garantir a alimentação familiar, sem fins comerciais.

Para os ribeirinhos é permitida a cota diária de três quilos e um exemplar de qualquer peso por pescador, respeitando os tamanhos mínimos de captura, estabelecidos pela legislação para cada espécie. O transporte e comercialização proveniente da pesca de subsistência também fica proibido.

Denúncias

O cidadão pode denunciar a pesca depredatória e outros crimes ambientais à Ouvidoria Setorial da Sema: 0800-65-3838 ou via WhatsApp no (65) 99281-4144. Outros telefones para informações e denúncias: (65) 3613-7394 (Setor Pesca), nas unidades regionais da Sema ou aplicativo MT Cidadão.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana