conecte-se conosco



Mato Grosso

Aos 104 anos, moradora de Araputanga é a aluna mais velha da rede estadual de ensino

Publicado

As dificuldades encontradas ao longo de sua vida a obrigaram a adiar, por muitos anos, o sonho de frequentar uma sala de aula. Mas a determinação e a força de vontade foram primordiais para que esse sonho um dia fosse realizado. Aos 104 anos, dona Duzinha dos Reis Rosa voltou ao banco escolar e vivencia o sonho de ser alfabetizada e escrever o próprio nome.

Moradora da cidade de Araputanga  (a 345 quilômetros a Oeste de Cuiabá), ela se matriculou em uma das turmas do projeto Muxirum. A aluna mais velha da rede estadual de ensino já consegue juntar as letras, lê e escreve o próprio nome.

“Mas ela quer aprender bem mais. O seu maior desejo é conseguir ler a bíblia e ela vai conseguir, pois nunca vi alguém com tanta determinação e vontade de aprender. Ela é um exemplo para muitos estudantes”, conta a alfabetizadora Sandra Regina Pereira da Silva.

Dona Duzinha nunca teve a oportunidade de frequentar uma sala de aula. Quando criança, morava na roça, em Minas Gerais, e o pai nunca a deixou estudar. Esse privilégio era apenas dos homens da família. Mesmo depois de casada, também não teve a oportunidade.

“Até que tentei, mas meu marido ficou doente e acabei desistindo. O povo ia dizer que eu abandonei meu marido doente. Achei melhor ficar com ele e não estudei mais”, relata.

Há 40 anos, Dona Duzinha veio para Mato Grosso. Aposentada, tem muitos netos e bisnetos e uma das netas, que mora na parte dos fundos da casa, é quem cuida dela. Apesar da idade, a estudante centenária ainda tem energia para fazer suas próprias refeições e alguns serviços domésticos.

Desde que chegou em Mato Grosso, a aposentada perdeu contato com os familiares de Minas Gerais. Ela explica que se chamava Zumira, mas com o tempo, ganhou apelido de Duzinha e tirou os documentos com esse nome. “Dona Duzinha fez questão de aprender também a escrever o nome Zumira, mas, mesmo assim, o que mais gosta é do atual”, diz Sandra Regina.  

A alfabetizadora foi a responsável por levar dona Duzinha a se matricular no Projeto Muxirum e voltar para a sala de aula. Ela conta que conheceu a aposentada durante um culto na igreja que as duas frequentavam.

“Quando estava montando a turma de alfabetização, a procurei para saber se não tinha interesse em estudar e ela aceitou na hora”, frisa a alfabetizadora, acrescentando que em uma turma de 10 alunos, a centenária é a mais entusiasmada.

“Ela quer escrever seu nome em toda aula, por isso, faço um exercício somente para ela. Outro dia, durante a aula, estava muito frio e as outras alunas estavam reclamando e queriam ir embora mais cedo. Mas ela não aceitou acabar a aula. Disse ter ido para estudar e que iria ficar até o final”, completa.

Para tirar fotos, na aula inaugural realizada pelo Programa Muxirim, a aluna centenária só aceitou com uma condição – só tirava foto se ganhasse um bolo.

“Fizemos um bolo para ela, embora o aniversário dela seja em abril. Dona Duzinha dizia que ninguém fazia bolo para ela. Fizemos e tiramos as fotos”, acrescenta a alfabetizadora.

Muxirum da Alfabetização

Projeto de alfabetização de adultos e idosos, cujo objetivo é reduzir a taxa de analfabetismo em Mato Grosso. O curso tem duração de 270 horas, distribuídas em seis meses, com carga horária mínima de 10 horas semanais. A ação é desenvolvida em parceria com as prefeituras municipais, igrejas, sindicatos, clubes de serviços, sindicatos rurais e outros segmentos organizados da sociedade mato-grossense.

Em 2017 e 2018, o Projeto alfabetizou 10.165 pessoas em 31 municípios de Mato Grosso.

Para 2019, a previsão é atender os municípios de Acorizal, Barão de Melgaço, Jangada, Poconé, Nossa Senhora do Livramento, Alto Paraguai, Rosário Oeste, Cáceres, Figueirópolis D’Oeste, Jauru, Lambari D’Oeste, Curvelândia, Araputanga e Mirassol D’Oeste.

FONTE: Governo do Estado de Mato Grosso

 

Leia mais:  Ouvidoria do Governo de Mato Grosso ganha agilidade e eficiência com novo Fale Cidadão

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Operações integradas prendem 708 autores de delitos criminais em Mato Grosso

Publicado

por

As forças de segurança deflagraram, no período de janeiro a novembro deste ano 88 operações integradas, que resultaram na prisão em flagrante de 708 autores de vários delitos criminais, a exemplo de homicídio, roubo, furto e tráfico de drogas. As ações repressivas foram realizadas nas 15 Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps) e contemplaram os 141 municípios de Mato Grosso.

Nos 11 meses foram cumpridos 261 mandados de prisões, internação cautelar e prisão temporária e 409 mandados de busca e apreensões, que resultou em 915 pessoas conduzidas e presas. Ao todo, 153 armas de fogo foram apreendidas, 219 veículos foram recuperados e realizadas 385 atividades periciais diversas.

Já com o foco no trabalho preventivo durante as operações, o Corpo de Bombeiros Militar fiscalizou 652 estabelecimentos comerciais para constatar a legalização do alvará de funcionamento.

O secretário adjunto de Integração Operacional da Sesp, coronel PM Victor Paulo Fortes, destaca que as ações conjuntas resultaram na redução dos principais índices criminais no Estado: homicídio, roubo e furto.

“Temos deflagrado operações não só nos municípios de Cuiabá e Várzea Grande, mas também em outras Regiões Integradas de Segurança Pública (Risp’s), que abrangem as 141 cidades. Nosso foco tem sido trabalhar em frentes ostensivas e repressivas para impedir o avanço da criminalidade. Ressalto ainda que cada instituição que compõe o sistema de segurança pública tem se dedicado para melhorar os índices criminais, seja atuando na parte ostensiva, de investigação ou perícia e estas ações diárias refletem na queda nos registros nos crimes contra a vida e patrimoniais”, ressalta.

Leia mais:  Mais de 1,2 mil pessoas privadas de liberdade fazem Enem nesta terça e quarta

Fazem parte das forças de segurança a Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Politec, Detran, Sistema Penitenciário e Socioeducativo.

Operação Sonora II

Ainda segundo o secretário, novas ações integradas serão deflagradas em dezembro. Uma das operações integradas desencadeada neste mês foi a “Sonora II”, que aconteceu no último final de semana (07.12) no município de Várzea Grande e culminou na interdição de um estabelecimento comercial por som alto.

Na operação, 27 estabelecimentos comerciais foram vistoriados e resultou na autuação de quatro pontos comerciais pelo Corpo de Bombeiros Militar. Também durante a ação, a Vigilância Sanitária notificou quatro estabelecimentos e outras infrações foram contabilizadas pelo órgão municipal de Meio Ambiente (01) e Gestão Fazendária (01).

 Além das forças de segurança, fizeram parte da “Operação Sonora II”, profissionais do Conselho Tutelar, Guarda Municipal de Várzea Grande, Meio Ambiente, Vigilância Sanitária, e Gestão Fazendária.

Redução criminalidade

Mato Grosso reduziu 14% os crimes contra a vida no período de janeiro a outubro deste ano. Nos primeiros dez meses foram 678 mortes, contra 785 no ano passado. Os dados são da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), por meio da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (Ceac). O levantamento é com base nos Boletins de Ocorrências (BOs) registrados nos 141 municípios.

Leia mais:  Descarga elétrica mata 40 cabeças de gado em MT

Ainda no período, o Estado apresentou queda de 27% no roubo e 13% em furto. Em 2019 foram contabilizadas 11.606 ocorrências de roubo (quando há violência) e em 2018 o total foi de 15.804 casos. Já os crimes de furto atingiram 36.351 registros neste ano contra 41.569 em 2018.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana