conecte-se conosco



Geral

Antártica: navio Almirante Maximiano atravessa Estreito de Drake

Publicado


Depois de 31 horas de espera ancorado perto da cidade de Porto Willians, no Chile, o tempo melhorou e surgiu a chamada janela climática que permitiu o navio Almirante Maximiano seguir em frente. A embarcação partiu às 5 horas da manhã em direção ao temido Estreito de Drake, ponto de encontro dos oceanos Pacífico e Atlântico, onde as ondas podem chegar a 11 metros de altura. O motivo de ficar mais de um dia aguardando foi justamente para passar pelo Drake num momento mais favorável. A expectativa é de que as ondas não vão ultrapassar os 4 metros de altura.

Antes de entrar no Drake o Almirante Maximiano navegou pelas águas turbulentas dos últimos quilômetros dos canais chilenos. O Comandante do Navio, o Capitão de Mar e Guerra, Cândido Marques, acompanhou toda a operação do Passadiço, a cabine de onde a embarcação é controlada. “É preciso ficar muito atento neste trecho final antes de entrar no Drake porque na região existem muitas pedras e pequenas ilhas que podem ficar parcialmente submersas pelas ondas”.

Leia mais:  Focos de incêndio no Pantanal mato-grossense reduzem em 80%; Governo continua com operação na região

Quatro horas depois da retomada da viagem entramos no estreito, a última etapa antes de chegar na Antártica. A travessia deve durar dois dias e neste período a recomendação é permanecer a maior parte possível do tempo dentro dos quartos porque o navio vai balançar bastante. Para reduzir as chances de um acidente os militares amarraram mesas, cadeiras e todos os outros objetos móveis do Almirante Maximiano.

A entrada no Drake mudou a rotina a bordo. A Praça D’Armas, que é o local das refeições e ponto de encontro da tripulação para assistir televisão, ficou quase vazia. Um cenário que deve se repetir até a chegada na península antártica onde o mar volta a ficar calmo. Durante a passagem pelo Drake normalmente quem mais trabalha é a médica do navio por causa dos casos de enjoo e mal estar.

Desde que fiquei sabendo que iria atravessar o Estreito de Drake aguardava este momento com ansiedade e também com um pouco de medo. Os três dia a bordo do Almirante Maximiano me deixaram mais calmo e seguro. Conversei com vários integrantes da tripulação e todos contaram histórias parecidas. “O Navio balança bastante, quase todo mundo sente um pouco de enjoo, mas é um problema passageiro e a chegada na Antártica acontece em segurança”.

Leia mais:  Número de latrocínios cai pela metade em Mato Grosso em 2020

Nos próximos dias vamos continuar surfando as ondas do Drake, e se tudo ocorrer dentro do previsto, vamos atracar sábado(11) na Antártica para acompanhar a reinauguração da Estação Comandante Ferraz. A cerimônia está marcada para terça-feira(14) e a TV Brasil vai transmitir o evento ao vivo.

Estação Comandante Ferraz na Antártica

Estação Comandante Ferraz na Antártica – Mauricio de Almeida – TV Brasil

O Governo Federal investiu cerca de US$100 milhões de dólares na reconstrução da Estação que ocupa uma área de 4500 metros quadrados e poderá hospedar 64 pessoas. O novo centro de pesquisas é mais moderno e maior do que o anterior. Antigamente existiam 5 laboratórios e depois da reinauguração o número vai passar para 17.

Edição: Liliane Farias
Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
publicidade

Geral

Focos de incêndio no Pantanal mato-grossense reduzem em 80%; Governo continua com operação na região

Publicado

São mais de 40 equipes, assim como a estrutura física de aeronaves e viaturas, em todo o Estado para atuar no combate aos incêndios florestais

Carol Sanford | Secom -MT

– Foto por: Mayke Toscano

A | A

Os focos de incêndio no Pantanal tiveram redução de 80% desde o último sábado (19.09). Nesta quinta-feira (23.09) são 190 focos, contra 919 da semana anterior, entre os dias 14 e 18 de setembro.

De acordo com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso, coronel Alessandro Borges, todo o efetivo de militares está em campo, são mais de 40 equipes, assim como a estrutura física de aeronaves e viaturas, em todo o Estado para atuar no combate aos incêndios florestais.

Em Mato Grosso, a redução dos focos de incêndio alcançou 85% nesta semana. Entre os últimos dias 14 e 18, eram 4.678, agora, de 19 a 23 de setembro, foram registrados 705 focos.

“Contamos também com o reforço da Marinha, Exército, Defesa Civil e voluntários e neste momento em que o clima ameniza a situação dos incêndios atuaremos no rescaldo, em uma operação abafa final. Temos agora uma condição muito favorável com o início da primavera, em que o fogo não se propagada com tanta rapidez e continuamos em campo até que todos os incêndios sejam debelados”, explicou o comandante.

Hoje, mais uma aeronave começou a atuar no combate ao fogo. O avião foi contratado pelo Governo de Mato Grosso e está em serviço na região de Porto Jofre. Ao todo, sete aviões atuam contra os incêndios em Mato Grosso.

O Estado já investiu R$ 22 milhões em recursos próprios no combate aos incêndios florestais e desmatamento ilegal. O Governo Federal enviou R$ 10,1 milhões nesta semana.

Nesta quinta-feira, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, veio a Mato Grosso e está na região do Pantanal. O ICMBio enviou mais 160 brigadistas que chegaram nesta manhã e à tarde, 48 militares da Força Nacional se unem às equipes em campo na região.

“Essas equipes nos darão suporte no monitoramento, levantamento de área e também na atuação daqueles focos de incêndio que porventura recomeçarem. Será uma otimização dos trabalhos, pois as ações continuam, uma vez que as precipitações de chuva foram leves e as equipes permanecem em campo em todo o Estado até que o período chuvoso de fato tenha início”, afirmou o comandante do Comitê Integrado Multiagências de Mato Grosso (Ciman-MT), tenente-coronel Dércio Santos da Silva.

Comentários Facebook
Leia mais:  Mato-grossense ganha mais de R$ 1,5 milhão na Lotomania
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana