conecte-se conosco



Política

ALMT destina recursos para abertura da UTI Pediátrica do HCAN

Publicado

Foto: MAURICIO BARBANT / ALMT

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso destinou R$ 3 milhões para ajudar na abertura da Unidade de Tratamento Intensivo – UTI Pediátrica do Hospital de Câncer. A iniciativa foi da Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social, presidida pelo deputado Paulo Araújo, que prontamente, recebeu apoio da Mesa Diretora.

Com os recursos, o hospital terá condições de custear o início do funcionamento da UTI Pediátrica e providenciar o pedido de credenciamento no Sistema Único de Saúde – SUS. Serão 10 leitos destinados ao tratamento infantil. Os deputados demonstraram a preocupação e fizeram questão de checar in loco a unidade e, consequentemente, buscar solução.

“Foi um pedido que recebemos da administradora do Hospital de Câncer, Silvia Negri e, pela relevância do caso, a Comissão de Saúde fez o levantamento e, em pouco tempo, buscamos a solução por compreender a emergência e necessidade desse hospital. Estamos contentes com o resultado que vai ajudar a salvar vidas de crianças que dependem de tratamento intensivo. Parabenizo todos os deputados envolvidos, que se colocaram à disposição e não mediram esforços para atingir o objetivo!”, destacou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM).

Leia mais:  Lei obriga estabelecimentos a denunciar a violência contra a mulher

Conforme a administradora do HCan, Silvia Regina Negri, o hospital atende em média 10 mil pacientes por mês, sendo aproximadamente 100 crianças. Ela relata as dificuldades que a unidade de saúde enfrenta para conseguir atender a grande demanda de pacientes. Cita a demora no trâmite para se obter o credenciamento, que sem a ajuda dos parlamentares não seria possível começar os atendimentos na UTI infantil. 

“Vamos aplicar os recursos no custeio, compra de medicamentos, pagamento de profissionais e outros materiais. Essa ajuda é fundamental porque sem ela a gente não iria conseguir colocar para funcionar e dar andamento no processo de credenciamento”, agradeceu Silvia. 

Ela explica que para habilitar o atendimento via SUS, a unidade precisa entrar em funcionamento e todo o processo pode demorar de seis meses a um ano. Até lá, o HCan vai custear as despesas com os recursos da ALMT. Outra grande expectativa é a de que o governo também destine recursos ao HCan.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
publicidade

Política

Lei obriga estabelecimentos a denunciar a violência contra a mulher

Publicado

“Não podemos permitir que a violência contra as mulheres, que considero pré-histórica, continue a atormentar a sociedade”, disse o deputado Nininho, autor da lei

Na quarta-feira (25), Dia Internacional de Não Violência Contra a Mulher, Mato Grosso avançou no amparo às vítimas de violência com a Lei nº 11.252, de autoria do deputado estadual Ondanir Bortolini (PSD), o Nininho, sancionada em 19 de novembro pelo governo do estado.  A lei tem como finalidade a divulgação do Disque Denúncia Nacional de Violência Contra a Mulher em estabelecimentos públicos e privados.

Conforme a lei, o texto altera a Lei nº 9.922, de 24 de novembro de 2013, tornando obrigatória a denúncia por responsáveis de estabelecimentos públicos e privados e colaboradores a acionar o disque denúncia “180”.

Segundo um levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Mato Grosso é o estado com o maior aumento no número de feminicídios durante o isolamento social com um aumento de 400% se comparado até o mês de março de 2019.

De acordo com o autor da lei, as mulheres ganham mais uma ferramenta de proteção. “A lei de 2013 não obrigava a livre iniciativa de terceiros para as denúncias em ambientes públicos, agora a nova lei vai dar mais segurança e inibir os atos de violência. Não podemos permitir que esta violência, que considero pré-histórica, continue atormentar a sociedade”, afirmou Nininho.

O artigo 2º destaca que a divulgação deverá ser feita em condomínios, edifícios e prédios residenciais e comerciais, permitindo que todos os colaboradores passam a ser obrigados a acionar o disque-denúncias nos casos que presenciarem, independente da forma de agressão contra a mulher, bem como todas as formas de agressão previstas na Lei Maria da Penha.

“Ficarão os gestores dos estabelecimentos responsáveis por oferecerem capacitação e orientação aos colaboradores a respeito do disque denúncia”, diz o parágrafo 3º.

O parlamentar agradeceu a celeridade do governador Mauro Mendes. “Quero em nome de todas as mulheres de nosso estado agradecer o governador, primeiro pela sensibilidade de entender a importância da lei e segundo por ele ser um ativista em defesa da mulher”, agradeceu o parlamentar.

Confira o teor da Lei nº 11.252 aqui


Gabinete do deputado Nininho

Telefone:  (65) 3313-6320

Comentários Facebook
Leia mais:  Lei obriga estabelecimentos a denunciar a violência contra a mulher
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana