conecte-se conosco



Pontes e Lacerda

ABASTECIMENTO E ESTIAGEM: Águas Pontes e Lacerda reforça importância dos reservatórios individuais

Publicado

Caixas d’água são aliadas na rotina do consumo doméstico e comercial de água tratada   

Em Mato Grosso, o segundo semestre do ano traz consigo a elevação das temperaturas, somada à queda na umidade do ar e à forte redução de chuvas. Em todas as regiões do Estado, a estaiagem vai ganhando lugar e mudando a paisagem.  Em 2020, ao mesmo tempo em que isso acontece, os casos de COVID-19 aumentam, fazendo com que os cuidados com a higiene se tornem cada vez mais importantes. Atenta a esse cenário, a Águas Pontes e Lacerda ressalta um relevante aspecto, diretamente ligado ao processo de abastecimento de água: a importância da instalação e da correta manutenção das caixas d’água nas residências e unidades comerciais do município.    

reservação, observa a concessionária, colabora com a continuidade do abastecimento de cada unidade consumidora. “Ter uma caixa d’água em casa ou no comércio traz a segurança de que o cliente poderá  manter o consumo de água tratada mesmo que ocorram intercorrências, como a falta de chuva, por exemplo, que impacta diretamente os mananciais de onde vem a água que abastece o município”, aponta André Silva, diretor operacional da empresa.    

Pontes e Lacerda conta com 100% de cobertura de água, o que significa que todas as residências, comércios e instituições têm acesso à rede pública de abastecimento. A operação do sistema demanda, de tempos em tempos, a realização de serviços de manutenção e melhorias. Essas ações podem, eventualmente, requerer breves interrupções, momentâneas, nas atividades de captação, tratamento ou distribuição de água – situações em que contar com uma caixa d’água beneficia diretamente a rotina de consumo de cada família ou organização.   

Limpeza da caixa d’água   

A água tratada entregue em cada unidade consumidora em Pontes e Lacerda obedece a todas as normas de qualidade estabelecidas pelo Ministério da Saúde, sendo apropriada ao consumo humano. Por ano, mais 27 mil testes são realizados pela concessionária para atestar a qualidade do produto.  No entanto, é fundamental que, em cada unidade consumidora, os clientes façam a correta manutenção das caixas d’água.   

Conforme a recomendação de especialistas, respaldada pelo Ministério da Saúde, os reservatórios internos precisam de limpeza a cada seis meses. Tal medida auxilia na prevenção da contaminação da água por germes, bactérias, vírus, entre outros poluentes. “Assim como a caixa d’água é aliada na continuidade do abastecimento, a limpeza é primordial na manutenção dos padrões de qualidade. Por isso, além da limpeza, indicamos aos clientes o correto tamponamento dos reservatórios que, além de evitar a contaminação da água, é medida de prevenção contra a dengue “, completa André Silva.   

Para saber mais sobre os procedimentos de limpeza da caixa d’água, basta acessar o site da Águas Pontes e Lacerda (https://www.iguasa.com.br/pontes-e-lacerda/informacoes-para-voce).    

Comentários Facebook
Leia mais:  Batalhão Ambiental identifica carvoaria sem licença ambiental em Pontes e Lacerda
publicidade

Pontes e Lacerda

Batalhão Ambiental identifica carvoaria sem licença ambiental em Pontes e Lacerda

Publicado

Os agentes instauraram autos de infração e apreensão, além dos termos de depósito e embargo. A multa pelo crime ambiental foi fixada em R$ 9 mil.

Maricelle Lima Vieira | PMMT

Uma equipe do Batalhão Ambiental em Pontes e Lacerda (a 448 km de Cuiabá) identificou nesta terça-feira (04.08), uma carvoaria sem licença ambiental, na comunidade Nossa Senhora Aparecida.

A denúncia descrevia que a carvoaria estaria atuando de forma irregular. Na propriedade, os policiais foram recebidos pelo proprietário que acompanhou a fiscalização.

Os agentes perceberam que quatro fornos estavam sendo construídos sem licença ambiental emitido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e confirmado pelo dono. Contaram ainda que 16 metros cúbicos de carvão estavam em processamento.

Os agentes instauraram autos de infração e apreensão, além dos termos de depósito e embargo. A multa pelo crime ambiental foi fixada em R$ 9 mil.

Comentários Facebook
Leia mais:  Batalhão Ambiental identifica carvoaria sem licença ambiental em Pontes e Lacerda
Continue lendo
publicidade

Pontes e Lacerda

publicidade

Polícia

Cidades

Mais Lidas da Semana